Projeto de diagnóstico pela saliva é selecionado pela FAPERJ

outubro 17, 2017
Doença periodontal como fator de risco para complicações na gravidez.
outubro 9, 2017

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro incluiu no dia 13 de novembro, entre 372 propostas apresentadas, o projeto de diagnóstico de doenças humanas pela saliva da profa. Liana Bastos Freitas Fernandes. O assunto começa a despertar o interesse das agências de fomento a pesquisa e entra para a pauta da ciência do estado do Rio de Janeiro.

Vários grupos de pesquisas no mundo inteiro têm estudado a possibilidade de obter um sinal característico e específico de uma determinada doença através do exame da saliva. A linha de pesquisa é promissora no momento que pode ser capaz de detectar componentes salivares como proteínas ou enzimas presentes na saliva de um paciente com determinada doença. Liana Bastos Freitas Fernandes, Cláudio Pinheiro Fernandes, professores do programa de Mestrado da UVA, a pesquisadora associada Fabiana Albernaz e os professores Ana Paula Valente e Fabio Almeida do Instituto de Bioquímica Médica no Centro de Ressonância Magnética Nuclear (CNRMN) da UFRJ, estão estudando as características salivares de pacientes saudáveis e portadores de doenças sistêmicas.

Profa. Liana diz que o grupo está estudando a interação de componentes salivares com alguns agentes químicos presentes em meios coadjuvantes de higiene oral como pastas de dentes e colutórios orais de modo a conhecer a estrutura tridimensional da ligação agente químico-proteína salivar. A pesquisa é importante no desenvolvimento de produtos de higiene oral além de melhorar as formulações já existentes pois propicia melhora do design de substâncias capazes de se ligar à proteína (ligantes) e alterar sua efetividade.
OCNRMN é a mais bem equipada unidade de pesquisa da América Latina para estudos de estrutura de proteínas. O estudo das proteínas ganhou um novo e importante aliado tecnológico.

A ressonância magnética nuclear, possibilita que se conheça a estrutura tridimensional das proteínas, o que facilita o entendimento de sua função e de suas implicações no mecanismo de doenças. A técnica também propicia o design de substâncias capazes de se ligar à proteína (ligantes) e alterar sua atividade. RMN é uma poderosa técnica para elucidação estrutural de moléculas orgânicas e inorgânicas além de principalmente de biomoléculas. Apesar de relativamente recente a Ressonância magnética
Nuclear é referência para análise de estruturas moleculares em diversas áreas do conhecimento.

Proteínas são importantes moléculas que funcionam como ferramentas em inúmeras funções biológicas: podem atuar como catalisadores de reações bioquímicas, possuem função estrutural, regulatória, de mediação de interações intra e intercelulares, dentre muitas outras. Apesar dos diversos papéis desempenhados por esta classe de moléculas, os organismos vivos constroem as proteínas a partir de uma combinação de apenas 20 tipos de aminoácidos encontrados na natureza.
A seqüência em que estes aminoácidos são ligados uns aos outros é chamada estrutura primária e um quase infinito número de combinações é possível, justificando a variedade de funções que diferentes proteínas apresentam. Na sua forma funcional, a cadeia de aminoácidos que compõe uma proteína está enovelada em uma estrutura tridimensional. Essa estrutura determina a função da proteína, organizando em uma região do espaço, chamada de sítio ativo da proteína, aminoácidos-chave com orientação espacial definida para a execução da função.
Saliva humana tem sido estudada para avaliar doenças orais e sistêmicas. Como por exemplo, na odontologia a saliva já tem sido estudada como um meio diagnóstico de risco de um paciente com cárie dental. Foi visto que a presença elevada de algumas bactérias cariogênicas tais como S. mutans e ou lactobacilus na saliva em pacientes com cárie dental. O método tem sido utilizado para motivar paciente que se
rebelam em ter um adequada higiene oral, visto que as bactérias existem em grande quantidade na cavidade oral dos pacientes que não são tratados adequadamente. Oconhecimento de que há hormônios esteróides na saliva também abre possibilidade para novo método diagnóstico menos invasivo que a colheita de sangue e de menor tempo de preparação. Os níveis hormonais podem mudar com a idade. É possível que o exame da saliva pode detectar DHEA, melatonina, progesterona e testosterona. As avaliações do nível de hormônios esteroides eram real-
izados em amostras de sangue mas, a coleta de sangue tem suas limitações. A nova tecnologia pode determinar exatos níveis de hormônios presentes na saliva.
Novos caminhos relacionando componentes salivares e a saúde de um paciente como a detecção de diabetes, níveis de colesterol e até mesmo o diagnóstico precoce de certos tipos de câncer, terão um espaço marcante na pesquisa médica-odontológica no futuro próximo.

Estrutura tridimensional da interação entre agente químico e proteína, mostrando a geometria dos sítios responsáveis pela ligação química. A informação auxilia o design de drogas farmacêuticas a serem cada vez mais específicas e agirem somente sobre o alvo desejado. O ganho de
especificidade do medicamento ger benefícios tais como redução da dose e redução dos efeitos colatereis.

 

Fique ligado! Todas quintas-feiras, abordaremos um tema importante para sua saúde bucal. Use o e-mail atendimento@clinicaeso.com.br para sugestões, criticas e dúvidas sobre problemas dentários Se você perdeu alguma parte das matérias entre em contato conosco e complete sua coleção. Saudações, e lembre-se, SORRIA SEMPRE!

//]]>